Resenha: Barriga de Trigo

Título: Barriga de Trigo
Autor: William Davis
Páginas: 368
Editora: Wmf Martins Fontes
Ano : 2013
Classificação: 5/5

Sinopse: 
“Barriga de trigo” mostra que parar de comer trigo – mesmo o integral, considerado mais saudável – pode ajudar a perder peso, reduzir gordura localizada e eliminar vários problemas de saúde. Fundamentado em décadas de estudos clínicos e nos resultados extraordinários que observou depois de orientar milhares de pacientes a parar de comer trigo, o doutor William Davis apresenta argumentos contundentes contra esse ingrediente tão onipresente.

Na vida corrida nossa de cada dia os fast foods foram chegando de mansinho e ganharam um espaço descomunal. Favorecidos por nossa falta de tempo ou pela preguiça, os sanduíches se tornaram cada vez mais frequentes em nossa culinária e rotina diária, juntamente com o miojo, os enlatados, os congelados, as sopas de pacotinho e uma série de outros produtos que não requerem preparo. Nessa onda de comidinhas industrializadas surgiu o famoso ditado: você é o que você come. Mas, particularmente, prefiro uma versão um pouco diferente dessa frase, criada pela jornalista e youtuber Francine Lima, que diz: você é o que sabe sobre o que come. Pois bem, comemos cada vez mais coisas que não conhecemos, que não preparamos e que no fundo no fundo nem sabemos do que são feitas. Por essas e outras razões me deslumbro com livros como Barriga de Trigo, os quais vão contra a maré da ignorância no setor dietético e que soam como um grito solitário na sociedade atual, tão fortemente manipulada pela indústria alimentícia e o capitalismo que a mantém.

Barriga de Trigo é um livro cujo protagonista, no caso um vilão, é o trigo. No entanto, depois que o li me dei conta de que o livro em si não é de fato sobre o trigo, mas sim sobre a importância do conhecimento a respeito do que ingerimos todos os dias ao longo da vida. Os nutrientes são o combustível que movem a máquina humana, consequentemente, nutri-lo mal pode provocar uma infinidade de doenças. Essa verdade incrustada em cada informação fornecida pelo Dr. William Davis torna-se evidente no decorrer da leitura.
“Pretendo provar que o cereal mais popular do mundo é também o ingrediente alimentar mais destrutivo.”
Uma característica marcante do Davis enquanto autor é a exposição do seu posicionamento de maneira clara. Sendo que isto ele não o faz de forma diplomática, pelo contrário, seu posicionamento é definitivamente escancarado. Confesso que essa peculiaridade me deixou com um pé atrás, tendo em vista que o trigo é declaradamente odiado por ele. No início da leitura me perguntei se o Dr. William Davis, médico cardiologista, não era na verdade um fanático ou no mínimo um exagerado e parcial demais para falar sobre o cereal mais presente em nossa alimentação. Contudo, não demorou muito para o nascimento da minha confiança nele, pois suas afirmações são todas corroboradas por estudos, percentuais, conclusões científicas e etc. Decididamente Barriga de Trigo não é um livro escrito por um lunático; ele merece a nossa atenção.

Bom, uma característica interessante do livro em questão é o seu caráter pessoal. Dessa forma, o início da obra é marcado, entre outras particularidades, por observações, pensamentos e confissões. Além disso, ao falar sobre a proeminente barriga de trigo presente na grande maioria dos americanos (e cá entre nós, de milhares de brasileiros também) o autor dá o seu próprio testemunho e relata o ponto da virada em sua vida, ou seja, o momento em que tomou a decisão de emagrecer e de investigar a causa de tanta gordura depositada em seu corpo. A partir daí, ele vai aos poucos nos conduzindo ao protagonista do seu livro e nos convencendo de que a barriguinha saliente e as gordurinhas sobrando são, nada mais nada menos,  do que uma das consequências do consumo de trigo em excesso, trigo este que nos é apresentado como o mais poderoso estimulador do apetite. Com isso, vem também uma avalanche de críticas e indiretas ao Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, Associação Norte-americana de Cardiologia e uma série de outros órgãos respeitados. Por isso só, esse médico já ganhou o meu respeito.

Mas, como eu já mencionei anteriormente, Davis ratifica suas opiniões a respeito do trigo. Assim sendo, ele nos concede uma série de informações a respeito das modificações genéticas feitas nesse grão a partir de meados do século XX e, portanto, implicitamente há o levantamento da questão ética por trás da manipulação gênica. Até onde é correto alterar os genes de uma espécie? Nesse caso, Barriga de Trigo nos diz que a engenharia genética passou dos limites e transformou o vegetal numa forma mais rentável, porém maléfica à saúde humana. Além de todas as informações da história do trigo e as modificações de qual foi alvo, há ainda uma série de descrições sobre o processo de digestão e absorção do mesmo, até finalmente a conclusão irrefutável de que tudo o que é feito de trigo tende a nos engordar.

Infelizmente, os prejuízos que o trigo traz consigo, de acordo com Barriga de Trigo, não se limitam ao aumento de peso e a celulite. À medida que avancei as páginas pude ver um leque de enfermidades ser exposto diante dos meus olhos. É estarrecedor descobrir a relação do trigo com a diabetes, o câncer de mama, a doença celíaca, a artrite e a acentuação dos sintomas em esquizofrênicos. Fiquei boquiaberta ao perceber que muitas vezes quando vamos ao mercado nós compramos veneno ao invés de alimento, uma prova disso é a exposição da evolução conjunta dos percentuais da incidência de várias doenças com o de consumo do trigo.

O livro apresenta depoimentos de pacientes que tiveram sua saúde e qualidade de vida transformadas pela exclusão na alimentação de tudo o que é feito do trigo. Os relatos, cerca de um por capítulo, vão desde histórias de perda de peso até desaparecimento de fortes dores. Algo notável também é a alusão corriqueira às celebridades norte-americanas e a sugestão de dietas que não contêm trigo, o que inclui cardápios diversificados.

A leitura de Barriga de Trigo se revelou como um precioso aprendizado. Contudo, creio que se trate de um livro possivelmente maçante para os que não estão familiarizados com alguns conceitos básicos da bioquímica, pois o seu entendimento completo requer muito interesse e alguns conhecimentos prévios. A linguagem é bastante formal, com exceção de alguns poucos coloquialismos em que o autor se dirige diretamente ao leitor. Ademais, há muitas informações que em geral não são de interesse da maioria das pessoas, por exemplo, há um capítulo inteiro sobre lipídios e outro sobre a doença celíaca. Portanto, Barriga de Trigo é uma obra maravilhosa, porém o seu público alvo não são os leigos, até porque sua leitura é lenta e muito informacional. Por outro lado, acredito que seja leitura obrigatória para os profissionais da área da saúde, especialmente os médicos e nutricionistas. Mas também deixo Barriga de Trigo como indicação para os que lutam contra a balança e apresentam doenças crônicas e aos amantes da informação nutricional, pois em definitivo este livro é incrível.

16 comentários:

  1. O livro, pelo que descreveu, parece ser mesmo excelente.

    Um livro sobre o assunto que gostei imensamente, não sei se você já leu é O segredo da saúde total, da Stormie Omartian.

    Difícil mesmo é colocar tudo de bom em prática que eles nos ensinam, né? :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não conhecia esse título. Obrigada por mencioná-lo! Fiquei interessada. :)
      Sim, muito difícil colocar em prática. Isso era até algo que eu ia comentar na resenha, mas como ela já estava gigante eu deixei pra lá. Mas, o bom é que pelo menos esse tipo de conhecimento nos ajuda a selecionar com mais sabedoria os alimentos.

      Excluir
  2. Muito boa a resenha. Bem pontuado a questão das partes mais profundas sobre bioquímica, já que para alguns isso é um pouco massante, porém, vale muito a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeço de coração pelo elogio em relação à resenha. :)

      Excluir
  3. O autor-pesquisador, qualifica o trigo como uma das piores drogas lícidas usadas hoje.
    Mas mudar o abito cultural do "pão nosso de cada dia" e mais difícil que mudar de ideologia.

    ResponderExcluir
  4. Eu também gosto de ouvir a Francine Lima... ^^
    Gostei bastante da resenha! Bem clara, analisando vários pontos. Eu também tenho um pouco de receio quando o autor se demonstra muito ferrenho... É bom saber que "ele merece a nossa atenção."

    Eu li um livro parecido, mas com foco na saúde mental: Dieta da Mente. ele combate os carboidratos em geral, principalmente o açúcar e o trigo. Aprendi muito, mas como a Pri disse acima, é difícil mudar os hábitos.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que gostou da resenha! :)
      Ah, eu sou completamente doida pra ler esse livro, o "Dieta da Mente". E fico contente em saber que não estou só na luta por mudanças de hábitos. Com certeza é difícil, mas me anima crer que o conhecimento é o primeiro passo para a mudança, ou seja, não estamos paradas em relação a conquistar mudanças em nossa vida e alimentação.
      Obrigada por compartilhar sua visão e sua experiência! Isso é enriquecedor para mim e para outros leitores. ;)
      Abraços.

      Excluir
    2. "o conhecimento é o primeiro passo para a mudança[...]" Verdade!

      Abraços!!

      Excluir
  5. Barriga de Trigo não é um livro fácil de ler mas recomendo fortemente. Sou uma pessoa que gosto muito de me observar e experimentar. Não sigo moda e nem o que o Papa recomenda....rssss. Já comi muito e de tudo, já fui macrobiótica rígida, macrobiótica light e recentemente resolvi cortar glúten porque estava me sentindo letárgica, dores no corpo e abdome inchado. Hoje as calças fecham, os anéis voltaram a servir e me sinto com muita energia. Cortar glúten significa ter poucas opções de alimentação. Eu acho ótimo porque gasto pouco, tenho saúde e não fico horas na cozinha. Eu estou amando. O livro foi recomendação de uma amigo e li pra entender o que acontece com nosso corpo quando paramos com o glúten. E faz muito sentido pra mim. Bia, um grande abraço e obrigada pelo convite.

    ResponderExcluir
  6. Corrigindo meu comentário: "sou uma pessoa que gosta...." E peço desculpas por não ter comentado sobre sua resenha. Está excelente e você toca num ponto importante sobre como somos manipulados pela indústria alimentícia, e acrescento a farmacêutica. Fico encantada com jovens como você tendo essa visão ampla e caindo fora do quadradinho criado por um sistema que só visa o interesse de poucos e pra isso nos quer ignorantes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey! Não precisa se desculpar, não mesmo. Pois, mesmo que seja bom receber elogios eu sou sincera em dizer que ler comentários de outros leitores, por si só, já é mega gratificante e me deixa realizada. De qualquer maneira, MUITO OBRIGADA por ter tido esse cuidado em comentar o que achou da minha resenha! Fico verdadeiramente feliz por saber que você gostou da minha resenha. :) No mais, agradeço também por ter divido sua opinião a cerca do livro. Que bom saber que minha experiência não foi atípica.
      Volte sempre!
      Abraços.

      Excluir
  7. Gostei muito da resenha, realmente temos que nos preocupar com nossa alimentação, não só pensando em estética, mas na saúde e esse livro nos faz entender o que um componente em nossa alimentação é capaz de fazer, imaginem uma alimentação toda errada, parabéns pela resenha. Livro ótimo, vale a leitura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cléo! Obrigada! Muito bom saber sobre sua opinião em relação ao livro e à resenha. Volte sempre!
      Abraços.

      Excluir
  8. Olá vi sua mensagem no skoob... Parabéns pela resenha, é difícil ver resenhas sobre o assunto. Sobre o livro, achei dicas importantes, me fez repensar o modo como eu como e o que ando dando para o meu filho também. Perdemos o hábito de preparar nosso próprio alimentos, deixamos de consumir comida de verdade e nos deparamos com diversas complicações para a saúde e comportamentais, que nem imaginaríamos ser por conta dos alimentos que escolhemos no dia a dia. Nos faz ser ao menos mais críticos com o consumo de alimentos ultraprocessados. Na linha de pensamento do autor e assunto, sugiro a leitura de Dieta da mente, que pelo título não é só mais um livro de dieta da moda. Como o autor de Barriga de Trigo, também tem diversos artigos e pesquisas científicas. Se não lemos livros assim, jamais imaginaríamos que existem diversas discussões no mundo todo sobre o consumo do trigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mylene! Fico por demais agradecida pelo elogio e pela sugestão de livro. Além disso, estou contente por ter compartilhado sua visão e perspectiva conosco. Volte mais vezes. ;)
      Abraços.

      Excluir

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial