Resenha: O Monge e o Executivo


Título: O Monge e o Executivo
Autor: James C. Hunter
Páginas: 144
Editora: Sextante
Ano : 1989
Classificação: 5/5
Sinopse: Você está convidado a juntar-se a um grupo que durante uma semana vai estudar com um dos maiores especialistas em liderança dos Estados Unidos. Leonard Hoffman, um famoso empresário que abandonou sua brilhante carreira para se tornar monge em um mosteiro beneditino, é o personagem central desta envolvente história criada por James C. Hunter para ensinar de forma clara e agradável os princípios fundamentais dos verdadeiros líderes. Se você tem dificuldade em fazer com que sua equipe dê o melhor de si e gostaria de se relacionar melhor com sua família e seus amigos, vai encontrar neste livro personagens, idéias e discussões que vão abrir um novo horizonte em sua forma de lidar com os outros. É impossível ler este livro sem sair transformado. O monge e o executivo é, sobretudo, uma lição sobre como se tornar uma pessoa melhor.

Ouço sobre este livro desde muito pequena, pois se trata de um dos títulos preferidos do meu pai. Já pensei em lê-lo inúmeras vezes ao longo da vida, mas, sabe-se lá porque, era uma leitura que eu sempre postergava. Até que, em um despretensioso dia, saindo da faculdade deparei-me com ele num camelô, e acabei pagando uma pechincha pelo mesmo: exatos cinco reais. É inacreditável como uma quantia tão pequena foi capaz de me proporcionar uma semana tão incrível em um renomado mosteiro, e com direito a assistir de camarote conversas muito sagazes entre um monge e certo executivo. Que viagem maravilhosa, queridos! Que viagem!

Além de uma viagem envolvente, O Monge e o Executivo entrega o que promete em sua capa: a essência da liderança. Ele também traz ensinamentos para as mais diversas áreas da vida de um ser humano. Posso afirmar que se trata de um livro bem escrito, fluido e inteligente. James C. Hunter conseguiu atrelar a trama de sua história a ensinamentos práticos e essenciais sobre a vida e os relacionamentos intrínsecos a ela. Assim sendo, ao ler o livro é possível adquirir conhecimento com uma boa dose de entretenimento.
Auto-realizar-se é tornar-se o melhor que você pode ser ou é capaz de ser. Nem todos podem ser presidentes de empresa ou o melhor aluno da sala. Mas todos podem ser o melhor empregado, jogador ou estudante possível
O Monge e o Executivo conta a história de John Daily, o gerente geral de uma grande indústria americana. Ele gerencia mais de quinhentos funcionários, ganha um salário abastado, é casado há dezoito anos com Rachel e pai de dois filhos adolescentes. É possível que os vizinhos pensem que a grama da casa de John seja mais verde do que de todas as demais, no entanto, pouco sabem que a despeito do status, das condições socioeconômicas e da família linda, nosso protagonista vive uma crise em todas as áreas de sua vida.

O grande executivo é mal visto pelos funcionários, não consegue dialogar com os filhos, vive conflitos diários com a esposa e tem uma conta bancária incapaz de comprar felicidade. Esse é o real contexto da vida de John quando ele é convencido pela esposa (diga-se pressionado) a tirar uma semana do trabalho e se hospedar num mosteiro. Os frades que lá vivem têm sua vida centrada em três premissas: oração, trabalho e silêncio. Assim sendo, a rotina do lugar é composta por cerimônias religiosas e aulas para os hóspedes. Mas, o que mais interessa a John é se encontrar com Leonard Hoffman, um famoso empresário que há dez anos abandonou sua brilhante e invejável carreira para se tornar o monge principal desta trama, o qual ensinará a John e a nós, leitores, os princípios e fundamentos dos verdadeiros líderes.
O poder corroí os relacionamentos.
Em linhas gerais, ao longo de sete capítulos James C. Hunter é eficiente em fazer com que os leitores não vejam o tempo passar e, principalmente, enriqueçam-se de ensinamentos práticos pra vida. Tudo isso através de uma linguagem simples e narrativa em primeira pessoa. Uma leitura que deveria ser feita por todo adulto, a começar pelos jovens. Portanto, dizer que amei o livro é pouco, por isso peço licença para terminar esta resenha com uma frase da sinopse do mesmo: É impossível ler este livro sem sair transformado. O Monge e o Executivo é, sobretudo, uma lição sobre como se tornar uma pessoa melhor.

      
       

1 comentários:

Postagem mais antiga Página inicial